As menores locomotivas a vapor…

Bem vindos ao Vapor Mínimo. Por aqui encontrarão informações sobre as menores locomotivas a vapor e os trens de bitola reduzida (60, 76 e 80 cm) que circularam por este país. É um tema interessante, ao lado das grandes e possantes locomotivas a vapor, dos importantes trens de carreira que levaram o desenvolvimento do Brasil, estas pequenas maquininhas tiveram um papel fundamental.
No estado de São Paulo, sem grandes investimentos a serem gastos, muitas fazendas e cidades se davam ao luxo da criação destas pequenas ferrovias, visando um melhor escoamento em sua produção cafeeira. La estavam elas, as pequenas maquininhas tracionando o grande peso, sendo responsáveis pelo sustento de muitas familias, e o desenvolvimento do estado. As grandes ferrovias, por sua vez, incentivaram tais ferrovias, importantíssimas para aumentar seu numero de cargas. São as famosas ferrovias “cata-café”.
Nesta foto o trem parado na estação da cidade de Santa Rita do Passa Quatro, em SP. A cidade possuiu trilhos em bitola de 60cm, ferrovia fundada em 1891 pela bolsa cafeeira da cidade, logo encampada pela Cia Paulista de Estradas de Ferro. O pequeno trenzinho deixou saudades, quando a erradicação no fim da década de 50, mas foi fundamentál para seu desenvolvimento, com ligação direta via trem a cidades importantes da época, como Porto Ferreira e Pirassununga.
As pequenas locomotivas tiveram atenção especial de suas fabricantes. Sua engenharia é especial e bem pensada, são pequenas mas são imponentes. Há algumas peculiaridades na maior parte da locomotivas de “bitolinha”. Possuem o chamado outside frame – chassis externo – com suas rodas internas a ele, e os belos contra-pesos ligados as braçagens. É uma caracteristica bem comum nestas maquinas, cria uma nostalgia em seus admiradores. Suas caldeiras e instrumentos também são em menor dimenção. Tudo isso para melhorar a posição do centro de gravidade, cria uma estabilidade incrível nas locomotivas. São relativamente leves, pequenas, e tem uma relação peso-potência bem distribuido. Conclusão que arrastam, proporcionalmente, tanto peso quanto qualquer outra locomotiva.
Nas proximas postagens, tentarei aos poucos ir destrinchando esse assunto interessante e tão romântico, que são as menores locomotivas a vapor, O VAPOR MÍNIMO !

5 comments

  1. Geraldo Vieira

    Muito boa idéia a desse Blog. Sugiro incluir alguma coisa relacionada ao live steam, na figura dos amigos Bottan, e Maminni, que são os 2 mestres no assunto. No mais, parabéns pela idéia.

    ab

  2. Luiz Carlos

    Entusiasticamente, saudo a chegada desse Blog, em exaltação ao Vapor Minimo.

    Salve a EFOM, o Tramwey da Cantareira, a Perus-Pirapora, a Douradense, e tantas outras, que tiveram “pequenas vaporeiras”

    Parabéns Guidini

  3. Paulo

    Prezado Leandro,
    Conversamos sobre ferrovias por alguns minutos no trem de Tiradentes, no último domingo.
    Muito interessante o blog, assuntos relacionados com patrimônio histórico e com formas mais inteligentes de desenvolvimento me interessam muito.
    Abraços,
    Paulo

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>