Locomotiva rara da E.F.P.P.

Esta curiosa imagem foi batida pelo engenheiro Christovam Ivancko nos anos 20 (entre 1919 e 1929), engenheiro este que trabalhou em algumas ferrovias em São Paulo, como Tramway da Cantareira e Estrada de Ferro Perus Pirapora, no período em que estas trocavam o lastro de terra por brita.

Locomotiva_perus_pirapora_Cristovam_Ivancko_acervo_Leandro_Guidini

Este engenheiro tinha por prática fotografar algumas cenas dos locais que ele mesmo trabalhava, e a revelação era feita a cargo dele mesmo, em um pequeno laboratório em sua casa. Um hobby peculiar e caro para a época. Tal cópia foi doada por sua neta à Sociedade de Pesquisa Memória do Trem, intermediada por este humilde pesquisador que vos escreve.

O caso é que, algum tempo atrás, levantei uma suspeita neste mesmo blog onde suponho que a EFPP tenha sua origem em pequenas ferrovias já existentes no bairro da água fria (Cajamar), que foram incorporadas originando a EFPP. Isso explicaria tantas locomotivas “mais antigas que a ferrovia” circulando por ela. Esta foto veio confirmar parte dessa suspeita, e veio criar novas suposições, de que existiu muito mais na EFPP do que qualquer um de nós imagina.

Na fotografia a cena nos chama atenção para, além da curiosa locomotiva, aparece um carro de passageiros tipo “bonde” dos primóridios da EFPP, tão raro quanto a própria locomotiva.

E qual locomotiva seria essa? Segundo o pesquisador Nicholas Burman, trata-se de uma Orenstein & Koppel 0-10-0 com sistema de articulação tipo Luttermöller (onde a roda 1 e 5 são conectadas as outras atravez de engrenagem, criando um jogo lateral), número de série 8756 de 1919, ex-Heeresfeldbahan (HFB – ferrovias militares alemãs da I Guerra). Segundo Nicholas, em sua pesquisa nas listas da O&K, esta maquina nunca foi ao front, sendo depositada em algum armazém militar por anos e depois vendida ao Brasil, esta lista indica “nº de frota 2869, reparada na fabrica em 10/02/1920 com adição de tender e vendida para o Brasil”. Não há informação de destinatário, logo a venda deve ter sido feita através de agencia. Para ver o quanto esta locomotiva foi originalmente modificada pela própria O&K, segue uma foto de uma mesma locomotiva abaixo.

locomotiva_alema

Dentre tantos mistérios ainda a resolver, demos mais uma luz a história desta desconhecida locomotiva. Você conhece mais mistérios ferroviários assim? Entrem em contato conosco e mostrem suas fotos antigas, quem sabe não ha tesouros por ai, escondidos no fundo do baú?

Leandro Guidini é um jovem apaixonado pelas ferrovias do Estado de São Paulo. Desenhista industrial por formação, atua na área da Arqueologia Industrial, pesquisando temas vinculados à ferrovia e fazendas de café, importante binômio do desenvolvimento paulista, sendo autor de livros e artigos. Em suas horas vagas, conduz algumas das velhas Maria-fumaças preservadas na cidade de São Paulo e pratica ferreomodelismo.

6 comments
  1. Muito interessante isto. Porém, não há registro algum nas atas da camara de Parnaiba sobre qualquer tipo de ferrovia na região da Agua Fria e proximidades em datas anteriores a 1910. Sei que isto não é conclusivo, mas diminui muito a possibilidade de ter havido pequenas ferrovias por ali antes da fundação da EFPP em 1910 e entrevistas várias com a Camara na época. Lembre-se que li todas essas atas da Cmara de 1840 a 1982 de fio a pavio. Abraços

  2. Eu acredito que essa locomotiva simplesmente passou pela EFPP. Deve ter sido testada, mas com esse tipo de rodagem, dificilmente teria dado certo lá. Não acredito que deva fazer parte da lista de locomotivas da EFPP ou CBCPP…
    É como a Gelsa na Mogiana…uma foto só…
    Nilson

  3. Ola belo trabalho de resgate hisórico, o que me chamou a atenção é o fato de o proprio Sr. Christovam Ivancko revelar suas fotos em casa, pois eu gosto de fotografar e revelar meus próprio negativos em casa, e realmente até para nossos dias não é um hobby muito barato, mas é muito legal, parabéns pela matéria, e muito legal a peculiar curiosidade sobre o engenheiro!!

  4. Ola amigos, gostei muito de saber desta peculiaridade de o Sr. Christovam Ivancko fotografar e ele mesmo revelar suas fotos, também gosto de fotografia e revelo minhas fotos em casa, e que se diga de passagem não é um hobby caro ate nos nossos dias, parabés pelo belo material de pesquisa, por este resgate histórico maravilhoso de nossas ferrovias que contribuíram tanto para o desenvolvimento do nosso querido Brasil, mas que hoje estão em sua maioria esquecidas e até negligenciadas, aqui em nossa cidade temos um museu que retrata um evento que aconteceu em nossa região e que estava ligado as ferrovias A guerra do Contestado neste museu temos uma locomotiva Baldwin modelo mogul no arranjo 2-6-0 em bom estado de concervação quem quiser visitar é só procurar pelo museu o nome é Museu do Contestado, mais uma vez parabéns!

  5. Perdão falei que revelar fotos em casa não é caro pelo contrario é caro e difícil de encontrar os quimicos mas mesmo assim é um hobby muito legal. perdão pelo engano!!

  6. Muito oportuna a descoberta deste site com informações sobre o período do pós guerra e estradas de ferro. Estou muito contente por estar pesquisando sobre os meus ancestrais e obtendo já diversos resultados. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *