O que é este site ?

O Vapor Mínimo é um site voltado para a história das ferrovias de bitola* estreitíssima que houveram em São Paulo. A escolha de preservar a história das “bitolinhas” deu-se pela paixão do autor pelo tema. São ferrovias normalmente de pequena extensão, que foram construídas por particulares visando a economia de custo em implantação. Estas pequenas ferrovias tem características muito peculiares e românticas, encantam por serem um MINÚSCULO TREM-DE-FERRO, e dão impressão de trens de brinquedo. Aqui encontrarão artigos sobre estas ferrovias, suas locomotivas carros e vagões, estações, etc. Colocaremos em discussão também uma introdução à importância que tiveram em seu entorno, muitas vezes é completamente esquecida. Grandes cidades do interior paulista se desenvolveram às margens destas ferrovias, podendo citar, como exemplo o famoso Tramway da Cantareira (imortalizada por Adoniram Barbosa no samba “Trem das 11”), ferrovia dentro da cidade de São Paulo, importantíssima no desenvolvimento da zona norte paulistana, e da região de Guarulhos . Portanto, não deixaremos que esta parcela vital de nossa história seja perdida.

Dividimos os assuntos em algumas categorias básicas, onde o leitor poderá se guiar melhor por assuntos agrupados em temas similares. Na categoria LOCOMOTIVAS, todo o universo voltado às maquinas que tracionavam os trens podem ser encontrados, como muita informação técnica e dados históricos. Já na categoria FERROVIAS DE FAZENDA  e RAMAIS FERROVIÁRIOS, contamos o histórico das ferrovias, em si. Ha também a categoria CURIOSIDADES, em que serão encontradas diversas informações úteis, como por exemplo, a história dos faróis das locomotivas, ou como podemos classificar uma maquina.

Por favor, sejam todos muito BEM VINDOS!

* (Entendam por “bitola” a distância entre os trilhos. No Brasil, duas são as bitolas mais comuns, a chamada “bitola larga” (que o Metrô e CPTM utilizam, por exemplo) de 1,60 metros, e temos a “bitola métrica” (também chamada de bitola estreita, que é a bitola mais comum no país), com distância de 1 metro. Este site tratará das ferrovias com bitolas inferiores a 1 metro, por isso apelidadas de bitolinha.