O transporte das bitolinhas na CP.

Após o ano de 1904, com o encerramento das atividades da navegação fluvial da Cia Paulista em Porto Ferreira, a oficina de reparos pesados dos barcos a vapor também fechou. Nesta oficina eram feitos os reparos dos materias de bitola 60 cm da CP.

Locomotiva 951 da bitola de 60 cm da Cia Paulista chegando na cidade de Bebedouro para compor o acervo do Museu Matarazzo
Locomotiva 951 da bitola de 60 cm da Cia Paulista chegando na cidade de Bebedouro para compor o acervo do Museu Matarazzo

Teve-se que, então, achar uma nova alternativa para a manutenção pesada das pequenas maquininhas e dos carros e vagões. Vagões prancha foram adaptados a esse tipo de serviço, que conduzia o material até a oficina de manutenção. No caso de locomotivas até Jundiaí, e carros e vagões em Rio Claro.

Um dos modelos empregados era de fabricação “Middletown Car Company”, dos EUA, fabricadas em 1926, com estrado metálico, piso de madeira. No desenho anexo abaixo vemos um dos modelos para “Transporte de Vehiculos”. Haviam outros modelos, de transporte diversos. Especificas para veículos ferroviários, eram 14 pranchas.

CP_plataforma_8821a8867_Metalica_MCCo_1926

Post a comment

You may use the following HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>